Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Porque é impossível não escrever...

Pedrógão Grande.
Desde sábado que estas duas palavras fazem parte do meu pensamento, da nossa consciência enquanto povo e das nossas preces, para quem acredita.
Pedrógão Grande.
Desde sábado que estas duas palavras são sinónimo de perda, de sonhos interrompidos, de vidas abruptamente terminadas... De desalento. De tristeza. Mas também de entrega total aos desconhecidos pelos bombeiros que combatem ininterruptamente este incêndio que teima em não dar tréguas.
Pedrógão Grande.
Desde sábado que estas duas palavras estão associadas a rostos que vamos conhecendo pouco a pouco. De novos ou de menos novos. De famílias. De pais e de filhos. De histórias que ficam por contar.
Pedrógão Grande.
Desde sábado que estas duas palavras nos mostram o quanto somos pequenos. Que nos mostram o quanto podemos ser impotentes contra uma força da natureza. Que nos mostram o quanto nos devemos entregar às nossas pessoas e sermos gratos todos os dias pela vida que temos. E que nos mostram o quanto tudo pode…
Mensagens recentes

Checklist do dia

Acordar cedo... Check.
Preparar lancheira e saco... Check.
Besuntar o baby com muito creme... Check.
Chapéu de sol no carro... Check.
Viagem até à praia... Check.
Montar o estaminé... Check.
Colocar pés do baby na areia... E ele não acha grande piada à coisa...Mãe sofre!!!That's all, folks!!

Porque as crianças também trabalham...

Hoje assinala-se o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil. Os dados são claros: milhões de crianças em todo o mundo são afectadas por este problema, principalmente nos países da Ásia e da África subsaariana. Quando se fala em trabalho infantil, a imagem que nos vem logo à cabeça é a de crianças dos países chamados de terceiro mundo ou em vias de desenvolvimento, em condições subhumanas, a produzirem os ténis último modelo da Nike ou as malas mais caras de marcas como Louis Vuitton ou outras semelhantes. A nossa imagem sobre esta questão é naturalmente deturpada pelos muitos documentários que passam na televisão sobre este temas. Imagens de crianças subnutridas colocadas a trabalhar pelos pais, sendo elas, em muitos casos, o único ganha-pão da família. Mas será esta uma realidade assim a tantos quilómetros de distância?Aqui bem perto, dentro das nossas próprias fronteiras, quantas crianças não coseram sapatos tardes e noites a fio em vez de estarem a brincar ou a estudar como seria esp…

O pH das mães

Quantas vezes não ouvimos aquele clichê de que a maternidade não é um mar de rosas? Ou quantas vezes não desconfiamos daquelas mães que andam sempre bem arranjadas, manicure sempre feita e dizem que os seus bebés não choram?Eu não gosto de pensar que só porque somos mães nos devemos deixar cair no desleixo e não cuidar mais de nós. Mas também acho que dizer que a maternidade não é um mar de rosas, é carregá-la de demasiadas tormentas e isso também não é preciso.Por isso a melhor analogia que encontro é dizer que a maternidade é como um canteiro de hortênsias. Para quem não sabe, as cores das hortênsias, a variar entre rosa e roxo, são uma condição associada ao pH do solo em que elas se encontram plantadas. E o mesmo acontece connosco mães: umas vezes gargalhamos, noutras deixamos cair uma lágrima mais ou menos tímida. Tudo depende do choro do nosso bebé. Tudo depende das dificuldades dos nossos dias. Tudo depende do nosso suporte familiar. Tudo depende se temos aquele modelo xpto de s…

Dia Mundial da Criança

1 de Junho é o dia mundialmente assinalado como o Dia Mundial da Criança. Uma data dedicada a todas as crianças do mundo, privilegiando a sua permanente educação e protecção. Um dia em que se sabe que, no último ano em Portugal, foram devolvidas 43 crianças pelas famílias que se encontravam no seu processo de adopção.
Num país em que habitualmente a notícia é sobre a dificuldade em conseguir adoptar. Em que se sabe de tantos e tantos casais que, por impossibilidade ou por opção, entram num processo de adopção que chega a durar anos na maioria dos casos... Esta notícia deixa-me de coração partido...
Obviamente não se podem atirar pedras nem fazer juízos de valor sobre estes casos pois não sabemos quais os verdadeiros motivos que estiveram por detrás do retorno destas 43 crianças a instituições... Mas não posso deixar de ficar preocupada caso algumas destas crianças tenham deixado de estar num seio familiar porque houve dois adultos que se fartaram delas. Que deixaram de ter paciência …

You shall not pass!... Ou como depois de estarem cá fora, os nossos filhos podem trocar-nos completamente as voltas!

Por estes dias, vi uma imagem no Facebook sobre a qual não pude deixar de escapar um sorriso... E aqui está ela:

Quantas de nós, durante a gravidez de nos primeiros meses após o parto, não tivemos conversas como as da imagem de cima? Num mundo perfeito, cor-de-rosa e utópico, tudo na maternidade corre como planeámos ou idealizámos durante a gravidez. Nada nos consegue trocar as voltas, o nosso bebé dorme a noite inteira desde que sai da nossa barriga. Nada de choros, cólicas nem vê-las! E quando chegar a altura da introdução da alimentação complementar, vamos ser umas mães do que perfeitas e vamos dar sempre toda a alimentação o mais caseira possível. Nada de cerelacs e afins para os nossos filhotes. E muito menos TV e coisas desse género que são o entretenimento mais fácil a que os pais podem recorrer quando estão desesperados com a casa em estado de guerra e não conseguem fazer nada. Somos todas mães em modo Gandalf... Papas industrializadas, canais Panda, Baby First e afins, you s…

O meu filho tem três anos mas vou já oferecer-lhe um avião particular!

Prendas. De todas as formas e feitios. Em quantidades astronómicas que a criança nem sequer tem tempo para brincar com tudo o que lhe deram...A muitos poucos dias do primeiro aniversário do meu baby, este é um assunto que não pode deixar de estar presente na minha mente. Numa sociedade cada vez mais (demasiado!) consumista e em que vejo mães preocupadas com que prenda material podem dar a uma criança de seis, sete ou oito anos, assusta-me e penso se estaremos a passar os valores correctos aos nossos filhos. Ou, pelo menos, se o estaremos a fazer da forma correcta... Obviamente que uma criança necessita de brinquedos, daqueles adequados à sua idade, para promover o seu desenvolvimento psíquico e motor. Não se lhe deve vedar a possibilidade de brincar pois as crianças são mesmo para isso: para brincar! Mas será que, ao estaremos sempre em busca do presente versão última bolacha do pacote, não lhes estaremos a transmitir que necessita sempre de estar em busca do último berro em objectos …