Apareceu uma risquinha rosa... E agora?

A risquinha cor-de-rosa. Aquela que ansiamos que apareça no visor ou, sejamos realistas, temos pânico de a ver pois a última coisa que desejamos naquele momento é ter um bebé a caminho. Sim... Nem todas as gravidezes têm o seu início de forma consciente,  planeada a dois e cheia de planos para o futuro. Existem mulheres para quem dar a notícia de uma gravidez ao companheiro pode significar o fim daquela relação... E nem sempre pensamos nesse momento como ausente de felicidade.

Por aqui, a gravidez foi planeada e muito desejada. Houve lugar a consulta pré-natal para discutir dúvidas e fazer os exames de rotina necessários. Sim, porque a nossa saúde ginecológica determina como tudo irá decorrer antes e durante a gravidez. Este deve ser um ponto importante para todas nós desde muito cedo. Desde a primeira menstruação que deveremos passar a olhar para este sistema tão importante de uma outra forma e a dar-lhe o carinho que ele merece. Quem nunca teve uma amiga a quem o período aparecia muito esporadicamente e, anos mais tarde, veio a ter dificuldades em conseguir engravidar? Os ciclos não são iguais em todas as mulheres mas isso não significa que sejam inexistentes.  Estejam atentas aos sinais do vosso corpo. Ele é sábio a alertar quando alguma coisa não está bem...

Depois surgiram as primeiras suspeitas. Os primeiros receios vividos a dois. E o dia de fazer o teste que viria a mudar a minha vida. A tomada de consciência de que deixaríamos de ser apenas dois para passarmos a três. Confesso que não queria acreditar no teste positivo que tinha diante de mim. O receio de que fosse um falso positivo e estivesse a criar falsas expectativas que poderiam cair por terra daí a uns dias fizeram com que eu me mantivesse racional nesta fase de tanta turbulência nas emoções. Mas não havia mesmo como negar o que estava a acontecer... Havia dentro de mim um pequeno ser que estava a crescer. Um pequeno ser que viria fazer com que eu passasse a ver o mundo de uma outra forma (que cliché, não é verdade?). E não poderia estar mais feliz!

Quem aí desse lado esteja a passar por um momento assim... Tenham calma e desfrutem do bom que é ver uma risquinha rosa surgir num visor. Pensem que irão poder dar o melhor de vocês ao pequeno ser que estão a gerar aí dentro da vossa barriga. Pensem que não é por serem mães que irão deixar de fazer as coisas de que mais gostam... É que certo que todas as vossas rotinas se irão alterar mas não é o fim-de-mundo. Apenas estão a alguns meses de nascerem como mães e de aprenderem a gerir toda uma nova realidade. Os primeiros tempos não serão fáceis, não vale a pena dourar a pílula. Mas tenham sempre presente que a recompensa será sempre maior que os momentos em que as vossas lágrimas possam cair pela vossa cara. Vivam intensamente cada dia destes nove meses... Vai valer a pena!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Conhecem a alegre Paula?

You shall not pass!... Ou como depois de estarem cá fora, os nossos filhos podem trocar-nos completamente as voltas!

O meu bebé já se senta e consegue transformar uma abóbora num barco com um canivete suíço!