Permitir a descoberta: o Método Montessoriano

Nos dias de hoje e apesar da maior parte das nossas escolas seguirem a mesma abordagem, começam a ser já mais comuns outras possibilidades educativas o que nos permite, como pais e educadores, escolher aquela que mais nos faz sentido. Nas minhas leituras descobri o método Montessori que aposta na curiosidade natural de cada criança para a sua aprendizagem num ambiente que deve ser estimulante e adequado à faixa etária em que a criança se encontra. Este método foi criado pela educadora italiana Maria Montessori que considerou que o desenvolvimento se processa segundo planos de desenvolvimento, existindo em cada etapa da vida da criança um conjunto de características e necessidades específicas e assentando em seis pilares educacionais: autoeducação, educação como ciência, educação cósmica, ambiente preparado, adulto preparado e criança equilibrada. 

Segundo este método, cada criança deve ter a oportunidade de escolher os objectos e brinquedos que pretendem utilizar no seu crescimento, constituindo cada experiência diária uma oportunidade de aprendizagem que deverá ser aproveitada. Segundo o site Greenme, este método pode ser encarado segundo dez princípios: ambiente e ordem (as crianças aprendem melhor num ambiente arrumado), movimento e aprendizagem (importância da concentração e coordenação), livre escolha (liberdade de escolha não é sinónimo de poder fazer o que quiser), estimulação do interesse (viver num ambiente estimulante), recompensas (deixar a criança errar e acertar sozinha), actividades práticas (incluir a criança nas actividades diárias adequadas à sua idade), grupos com crianças de diferentes idades, importância do contexto (exemplos concretos são mais fáceis de aprender), papel do professor (auxiliar no processo de aprendizagem) e independência e autodisciplina (viver é aprender).

É um método que me tem despertado a atenção por permitir à criança explorar o mundo que a rodeia, aprender à sua velocidade e ser estimulado pelo meio em que se encontra. Num mundo em que as crianças se tornam cada vez mais sedentárias e passam a maior parte do seu dia dentro de casa, espero poder contrariar esta tendência e permitir ao meu filhote descobrir o mundo fora de portas. Não o quero preso a um qualquer écran durante grande parte do seu tempo livre... Há todo um contacto com a natureza que quero privilegiar e descobertas que quero que ele faça ao seu ritmo, sem pressas, sempre em busca da sua autonomia e da sua capacidade questionar o que vai observando. 

Fontes: 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Conhecem a alegre Paula?

You shall not pass!... Ou como depois de estarem cá fora, os nossos filhos podem trocar-nos completamente as voltas!

O meu bebé já se senta e consegue transformar uma abóbora num barco com um canivete suíço!